7 de maio de 2010

O Acidente de Mbuzini (A morte de Samora Machel), por Luís Brito Dias

O Acidente de Mbuzini (A morte de Samora Machel) por Luís Brito Dias*1


*2 Sérgio Vieira Ordenou aos Pilotos da LAM que se "Mantivessem Calados"


Li com muita atenção as declarações do Sr. Sérgio Vieira a respeito do desastre de Mbuzini (jornal O País, 15 de Agosto de 2008), assunto que me interessa sobremaneira, pois trabalhei em Moçambique como piloto da DETA /LAM durante 17 anos. Presentemente trabalho no Extremo Oriente como comandante de uma transportadora aérea, pilotando aviões do tipo Boeing 747-400. É evidente que o Sr. Sérgio Vieira mente descaradamente pois ele era na altura do acidente o Ministro da Segurança, portanto com responsabilidade no que veio a acontecer. Samora teve uma morte inglória e claro que ele também foi o responsável pelo que aconteceu pois entregou a sua própria vida nas mãos de pilotos que revelaram desleixo, negligência e incúria. Todos os pilotos que voavam na LAM na altura sabem perfeitamente que o acidente de Mbuzini deveu-se a negligência e incúria por parte da tripulação técnica. Aliás, após o acidente, o Sr. Sérgio Vieira fez chegar aos pilotos da LAM a mensagem, tipo ameaça bem clara, para se manterem calados e não abrirem a boca. Foi por essa razão que nenhum Comandante foi nomeado para fazer parte da comissão de inquérito. O único que foi nomeado foi um co-piloto da LAM, que tinha sido da Força Aérea e era membro do Partido Frelimo, e por isso facilmente controlável. Este co-piloto começou a ver a nojeira que era a Comissão de Inquérito e arranjou maneira de se baldar rapidamente pois em consciência não podia participar na deturpação da verdade. Os pilotos soviéticos além de terem pouca experiência, voavam muito pouco e as licenças de voo que foram apresentadas no inquérito são falsas. Foram emitidas posteriormente.

Conjunto 1º de Maio: 30 anos de uma banda com história de hoje


Conjunto 1º de Maio: Trinta anos de uma banda com história de hoje

Há 30 anos atrás, um grupo de jovens integrando trabalhadores e estudantes, amantes da cultura, e, principalmente, da música, resolveu se juntar e fundar um grupo musical. A ideia foi amadurecida, e no dia 1º de Maio de 1980, na Cidade Zambeziana de Quelimane, foi fundado o conjunto musical que foi baptizado pelo nome de 1º de Maio, em homenagem aos trabalhadores de todo o mundo, que, a cada 1º de Maio, comemoram o dia de luta por melhores condições de trabalho, melhores salários, segurança social, entre outras.

Este grupo, cedo revelou-se como uma sensação nacional, pela qualidade da música que tocava e o conteúdo das suas mensagens. E os espectáculos que realizava em cada canto deste país, cativava o público, que sentia as suas aspirações, sonhos e ambições reflectidos nas letras das suas músicas.

Samora Machel morreu devido a ‘desleixo’ da tripulação soviética


Acidente de Mbuzini

Machel morreu devido a ‘desleixo’ da tripulação soviética

– revela jornalista da LUSA em Moscovo, autor de livro a ser lançado hoje em Lisboa

Pretoria (Canalmoz) - O despenhamento do Tupolev presidencial em Mbuzini e que provocou a morte do presidente moçambicano, Samora Machel, em 1986, foi causado “por desleixo da tripulação soviética da aeronave”, afirmou o jornalista José Milhazes, que relata a tragédia no seu mais recente livro.
Em declarações à LUSA, o autor de “Samora Machel - Atentado ou Acidente?” disse pensar ter conseguido “responder (à questão do título do livro), pois não se tratou de um atentado, mas sim de um acidente. O avião caiu devido a um erro humano, mais propriamente, ao desleixo da tripulação do avião presidencial, como disse um dos técnicos”, referiu o jornalista, que é correspondente da Agência Lusa em Moscovo.

Moçambique: Prepara-se "II Aldeia Cultural" em Maputo


Em Maputo: Prepara-se "II Aldeia Cultural"

Maputo (Canalmoz) - A Casa de Ferro, em Maputo, edifício onde se encontra alojada a Direcção Nacional de Cultura, colheu recentemente um encontro entre a Iodine e a Logaritimo Produções, entidades mentoras do programa “Aldeia Cultural”, com as demais instituições parceiras na sua materialização, como o Ministério da Cultura, o Teatro Avenida, para além de alguns artistas com a finalidade de clarificar alguns aspectos aos envolvidos bem como solicitar o engajamento de todos, muito em especial da comunicação social.
Ao que tudo indica, este projecto que neste ano se realiza pela segunda vez consecutiva, ainda carece de apoios à medida de sua envergadura. É um dos maiores programas culturais que Moçambique possui depois do Festival Nacional de Cultura (FNC). Envolve quase todos os quadrantes culturais, inclusive uma parte do FNC na província de Maputo.
Poderão ainda tomar parte deste certame cultural, instituições de ensino de artes e cultura, como o Instituto de Arte e Cultura, a Escola de comunicação e Artes, Escolas Nacionais de Música e de Artes Visuais, escolas de dança, etc., agregando assim diversas modalidades de actividades e manifestações culturais, como o teatro, a dança, a gastronomia, a literatura, o cinema, as artes visuais, o canto e dança e tudo que se puder criar no âmbito de arte.

Moçambique: Gaza com página na Internet


Gaza com página na Internet

O Governo de Gaza conta desde terça-feira passada com uma página na Internet, denominada “Portal do Governo http://www.gaza.gov.mz”, que visa colocar à disposição, informações sobre as actividades levadas a cabo pelo Governo Provincial nas diferentes áreas de trabalho, e os seus serviços oferecidos ao público, por forma a garantir uma rápida, fiável e segura transmissão de dados.

Falando na ocasião, o governador de Gaza, Raimundo Diomba, disse que o seu Governo pretende, com o lançamento daquele portal, divulgar as potencialidades e oportunidades de desenvolvimento da província, massificar o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação como meio para encurtar a distância física, melhorando o acesso e a troca de informação, bem como para a promoção do funcionamento em rede de instituições, indivíduos, regiões geográficas e a partilha de conhecimento entre intervenientes.